COMPROVA: Não é verdade que Alexandre de Moraes é vinculado a morte de Teori Zavascki

São Paulo: É mentira que haja ligação entre o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes e a queda do avião que vitimou o ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas em janeiro de 2017, diferentemente de post viral. O acidente foi provocado por falha humana associada às condições do tempo; a hipótese de sabotagem foi descartada pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) da FAB (Força Aérea Brasileira).

O vídeo, verificado pelo Comprova, também insinua que Moraes teria envolvimento com a morte do delegado de Angra dos Reis Adriano Antônio Soares, responsável por abrir o inquérito da morte de Teori. Ao contrário do que o post sugere, ele não estava à frente do caso, que já havia sido transferido para Brasília quando o ministro morreu. E a investigação sobre a morte de Soares foi arquivada após a constatação de que ele e um colega morreram durante uma briga e que o autor dos disparos agiu em legítima defesa.

 

Teori Zavascki, homem branco, calvo, usa óculos e toga preta. Ao fundo, à dir. da foto, lê-se "STF"
O ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em 2017
Foto: Pedro Ladeira – Folhapress 

Ex-ministro da Justiça e ex-secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo no governo Geraldo Alckmin, Moraes foi indicado ao STF pelo então presidente Michel Temer (MDB), em março de 2017, na vaga de Teori.

O autor do post, visualizado mais de 90 mil vezes no TikTok e 54 mil vezes no X, publica conteúdos contrários a Moraes e a Lula (PT). Ele foi procurado pela reportagem, mas não respondeu até a publicação desse texto.

 

 

Enganoso, para o Comprova, é todo conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz a uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

POR QUE INVESTIGAMOS

O Comprova monitora conteúdos suspeitos publicados em redes sociais e aplicativos de mensagem sobre políticas públicas, saúde, mudanças climáticas e eleições no âmbito federal e abre investigações para aquelas publicações que obtiveram maior alcance e engajamento. Você também pode sugerir verificações pelo WhatsApp +55 11 97045-4984. Sugestões e dúvidas relacionadas a conteúdos duvidosos também podem ser enviadas para a Folha pelo WhatsApp 11 99486-0293.

 

 

 

Fonte: site do Comprova.

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos”

 

Deixe o primeiro comentário