Fluminense: Na partida de estreia time continua sofrendo gols em de jogadas aéreas

BRASILEIRÃO 2024: O assunto é repetitivo, mas difícil de não ser mencionado após o empate do Fluminense em 2 a 2 contra o Bragantino, neste sábado, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro: os gols sofridos de jogadas áreas. Foram decisivos para neste tropeço do Tricolor, mas já custaram caro outras vezes nesta temporada. Desde que os titulares estrearam em 2024, 50% dos gols sofridos foram desta forma.

Ao todo, o Fluminense sofreu 18 gols na temporada, mas 16 desde a reestreia dos titulares (diante do Bangu, no dia 1º de fevereiro). Destes, oito foram originados de jogadas aéreas, alguns em situações muito parecidas as bolas na rede de Eduardo Sasha e Thiago Borba.

OS OITOS GOLS, SOFRIDOS, BOLA AÉREA:

  1. Arce — LDU 1 x 0 Fluminense;
  2. Marlon Freitas — Fluminense 2 x 4 Botafogo;
  3. Emerson Urso — Fluminense 2 x 4 Botafogo;
  4. Everton — Fluminense 0 x 2 Flamengo;
  5. Pedro — Fluminense 0 x 2 Flamengo;
  6. Guillermo Paiva — Fluminense 2 x 1 Colo-Colo;
  7. Eduardo Sasha — Fluminense 2 x 2 Bragantino;
  8. Thiago Borbas — Fluminense 2 x 2 Bragantino
Cano, Fluminense, Bragantino — Foto: Alexandre Loureiro/AGIF

Cano, Fluminense, Bragantino — Foto: Alexandre Loureiro/AGIF

Durante a coletiva de imprensa, Fernando Diniz lamentou a quantidade de gols sofridas em jogadas aéreas, mas não creditou isso ao fato de jogar com volantes improvisados como zagueiro, como Martinelli ou Thiago Santos. Para ele, o problema está na origem dos lances.

— O ponto negativo (da partida) foi voltar e sofrer de bolas aéreas. Se a gente for procurar uma solução fácil (sobre as bolas aéreas que resultaram em gols do Bragantino), foi jogar sem zagueiro. No segundo gol, até se justifica não jogar com zagueiro. Talvez pudesse ser evitado.

Mas, na verdade, tem um monte de coisa errada. Era um lateral nosso no primeiro gol. Fizemos uma falta boba. No segundo, fizemos uma inversão desnecessária. Se a gente faz o que era para ter sido feito, a jogada nem teria existido.” — Fernando Diniz, técnico do Fluminense

O Fluminense volta aos gramados na próxima terça-feira para enfrentar o Bahia às 21h30 na Arena Fonte Nova, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: GE

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos”

Deixe o primeiro comentário