Caravana de Direitos Humanos em Antônio Cardoso traz serviços de cidadania e valoriza a cultura local

Logo

A chuva que molhou, à noite, o barro marrom-avermelhado característico do solo sertanejo de Antônio Cardoso, deu trégua na manhã desta quinta-feira (6) e trouxe um clima ameno à cidade, permitindo que centenas de cardosenses pudessem chegar tranquilamente ao Colégio Estadual do Campo Genivaldo Almeida Brandão para emitir a 2ª via do seu RG, receber orientações da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e acessar os diversos serviços, gratuitos, de cidadania ofertados pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) e seus parceiros.

Cidade destacada entre as que têm maior população autodeclarada preta no Brasil, Antônio Cardoso é um verdadeiro berço da cultura afrobrasileira. Da Folia de Reis aos festejos juninos, a comunidade cardosense tem salvaguardado suas tradições. Valorizando esse traço constitutivo do município, a abertura do segundo dia da Caravana de Direitos Humanos ficou por conta do Grupo de Samba de Roda ‘Raízes Culturais’, que homenageou o cantador cardosense Bule-Bule, um dos maiores nomes da cultura popular brasileira.

Foto: Janaina Neri/Ascom SJDH

O titular de Justiça e Direitos, Felipe Freitas, esteve presente para dar início aos atendimentos nos serviços de cidadania e acesso à justiça, conversou com a população, educadores e com as equipes que atuam na caravana, dialogou com lideranças comunitárias e destacou a importância da aliança firmada com a rede local de defesa dos direitos.

“É preciso, sobretudo, dizer ‘obrigado’ aos parceiros locais. Quero agradecer à escola, por ter aberto as portas para a gente fazer essa ação; ao grupo de samba, pela generosidade de vir animar o começo da nossa atividade; às lideranças, que reforçaram a importância de trazer essa iniciativa para cá, como forma de nos trazer à atenção para o interior. Estamos aqui porque o povo de Antônio Cardoso merece ser bem tratado e ter acesso às políticas públicas, é o seu direito”, afirmou o secretário.

Foto: Janaina Neri/Ascom SJDH

Para Dona Maria Eliana Anjos Conceição, moradora da comunidade quilombola Fazenda Crumataí, a caravana foi providencial. A agricultora precisava resolver uma questão que já vinha se estendendo há sete anos. Desde 2017, ela sentia a necessidade de emitir o seu Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF). Em poucos minutos, a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR-BA), uma das parceiras da SJDH, emitiu o documento.

“Estava precisando desse papel. Sem ele, não dava. Precisava tanto para trabalhar quanto para minha aposentadoria. Essa caravana é muito boa. Quem tiver precisando, assim como eu, pode vir fazer. Graças a Deus, eu consegui”, comemorou Dona Maria após receber o novo CAF em mãos.

Foto: Janaina Neri/Ascom SJDH

Serviços

A Caravana de Direitos Humanos segue até amanhã, sexta-feira (7), das 9h às 16h. Os serviços disponíveis são: emissão de Certidão de Nascimento e Casamento; emissão de RG ; Passe Livre Intermunicipal Digital para Pessoas com Deficiência; cadastro, consultas e emissão da Carteira de Identificação para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea); atendimento administrativo, distribuição de mudas e atividades lúdicas – Embasa; atendimento e orientação ao consumidor, com registro de reclamações – Procon-SJDH; atendimento com a Ouvidoria da SJDH; emissão do Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF).

Foto: Janaina Neri/Ascom SJDH

Parceiros

Nesta edição, os parceiros institucionais da SJDH são Associação dos Registradores Civis das Pessoas Naturais do Estado da Bahia (Arpen-BA); Instituto de Identificação Pedro Mello (IIPM/SSP-BA); Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A (Embasa); e Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR-BA).

Fonte: Ascom/SJDH

Fonte: Clique aqui

O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos

Deixe o primeiro comentário